Textos


O milagre - R. Santana


     Quando criança, meu avô João Zabelinha, contou-me uma história que nunca me esqueci. Ele era um homem de fé sem ser beato nem fanático, seguia a lição de Tiago: “... a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma”, suas obras legitimavam sua fé, ele exercitava a caridade, a solidariedade e a generosidade sempre, por isto, sua palavra para mim, até hoje, tem fé de ofício e sua história será contada.

     Em uma cidade distante do interior do Nordeste, morava uma pobre viúva que pelejava com seu filho mais novo e doente, fazia algum tempo, sem recursos pra levar o menino à cidade maior, apelava para todos os santos conhecidos e os santos desconhecidos para que eles curassem seu filho. Os dias passavam e os santos faziam de ouvidos moucos e a cura não se realizava. Naquele dia, véspera de Natal, ela o deixou mais cedo e foi assistir à Missa do Galo. O menino, prostrado na cama, rogou que sua mãe orasse a Jesus Cristo sua cura.

     Nesse dia, surgiu do nada um ladrão barbudo e cabelos compridos que, sem ser chamado, adentrou na casa da viúva, pé cá, pé lá, pé cá mais do que pé lá, percorreu salas e quartos até chegar ao quarto do menino, mas ao invés de assustar a criança, ele que se assustou, quando:

     - Senhor! Senhor!

     - Sim, filho?

     - Veio me ver? -

     - Sim!

     - Obrigado, Jesus! Minha mãe disse que viria...

     - Jesus!?

     - Oh, Filho de Deus, cura-me!

    - Mas... não... não posso...

     - Minha mãe disse-me que Tu podes...

     - Eu não...

     - Como não, Jesus!? Tu não ressuscitaste Lázaro?

     - Filho, Lázaro foi ressuscitado pelo Filho de Deus, eu sou filho...

     - Então!? Tu és Filho de Deus... Cura-me, Senhor!

     - Sua mãe...

     - Minha mãe Lhe pediu que me curasse, não foi?

     - Sua fé...

     - Mas... eu tenho muita fé, Senhor!

     - Eu quis dizer... a fé irá lhe curar... acredita no Filho de Deus!?

     - Eu tenho fé em Ti, mas aumenta minha fé para que eu seja curado!

     - Tu queres ser curado?

     - Sim, Senhor!

     - Então, reze comigo a oração que lhe deixei!

     - Não posso, Senhor, não tenho força!

     - Tu crês em Mim?

     - Sim, Tu és o Filho de Deus!

     - Então, levanta-te e ora Comigo:


     “Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o Vosso nome.

Venha a nós o Vosso Reino...”


     Enquanto o menino em pé, cabeça em súplica e mãos em oração rezava, o coração do sujeito foi tocado e sorrateiro desapareceu, ao mesmo tempo, a mãe do menino da porta gritava:

     - Milagre! Milagre! Milagre! ...


Autoria: Rilvan Batista de Santana
Licença: Creative Commons
Rilvan Santana
Enviado por Rilvan Santana em 17/04/2018
Alterado em 17/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr